quinta-feira, maio 13, 2010

Abre-te Sézamo (Raul Seixas)

Abre-te Sézamo (Raul Seixas)
Por Fábio Cavalcanti

Comentar sobre Raul Seixas se tornou uma tarefa bastante "clichê", à medida que o seu status de "gênio da música brasileira" foi ganhando contornos cada vez mais épicos - e sejamos realistas, tal fanatismo é bastante exagerado. Por outro lado, o consenso geral de que o álbum "O Dia Em Que a Terra Parou" (1977) encerrou uma espécie de "fase de ouro", afeta a forma do ouvinte iniciante "digerir" qualquer obra posterior do artista. Vamos falar aqui sobre um desses álbuns posteriores, o excelente "Abre-te Sézamo" (1980).

Alguns fãs podem discordar completamente, mas a discografia setentista de Raul Seixas mostrava um artista realmente inquieto, o que afetava um pouco a qualidade de algumas músicas, ou mesmo a certeza do direcionamento musical que o álbum - seja lá qual fosse - deveria ter, tanto a nível de estilo quanto a nível de produção e arranjos. Em "Abre-te Sézamo", temos um artista que sabe bem o que quer, mostrando uma habilidade sem igual no nicho roqueiro, mas sem perder suas influências de MPB.

A faixa-título "Abre-Te Sésamo" consegue ser climática e rock 'n' roll ao mesmo tempo, com uma letra curiosamente simples, porém bastante divertida. E falando em diversão, este álbum é um deleite para os apreciadores de temáticas mais irônicas e/ou ousadas, como podemos notar na hard rocker "Aluga-se", no country rock "Anos 80", e no maravilhoso rockabilly "Rock Das 'Aranha'". Em um claro ato de "chover no molhado", ainda podemos acrescentar os rocks diretos "Conversa Pra Boi Dormir" e "Só Prá Variar", além da boa balada "Baby", à lista de pontos altos do álbum.

Se, por um lado, o rock vem muito bem representado pelas faixas já citadas, o lado mais ousado de Raul Seixas também não decepciona, em faixas como a pseudo-oriental "O Conto Do Sábio Chinês", as quase sertanejas "Minha Viola" e "À Beira Do Pantanal", além da inusitada "Ê Meu Pai", que captura o melhor das suas influências nordestinas. O ponto negativo fica por conta da balada melosa "Angela", a qual quebra o ritmo do álbum com o lado mais desinteressante de 'Raulzito'.

Seja como for, "Abre-Te Sésamo" traz um Raul Seixas ainda no pico de sua criatividade, soando melhor do que em boa parte dos seus álbuns mais clássicos. Muito mais do que um trabalho injustiçado, este disco é uma pérola do rock clássico brasileiro, e deve ser escutado com bastante atenção, seja você um ouvinte iniciante ou experiente. E isso não é conversa pra boi dormir...

Nota: 9

Músicas:
1. Abre-Te Sésamo
2. Aluga-se
3. Anos 80
4. Angela
5. Conversa Pra Boi Dormir
6. Minha Viola
7. Rock Das "Aranha"
8. O Conto Do Sábio Chinês
9. Só Prá Variar
10. Baby
11. Ê Meu Pai
12. À Beira Do Pantanal

4 comentários:

Free-I_Dixon disse...

Muito bacana sua análise. Concordo bastante no trecho em que vc menciona a fase 'Setentista', tanto na questão musical e 'letrista' quanto na questão de quem o escuta. É um disco semelhante ao Professias, guardadas as suas particularidades e proporções.

Excelente Blog!!

Igor Pitty disse...

Gostei da análise também, e apesar de concordar com a quebra de ritmo causada por "Angélica", eu acho que ela não diminui o álbum, por aumentar na qualidade dela própria.
Para mim é a melhor música desse álbum, e, no final das contas, era uma declaração né, então Raul ia fazer mesmo, querendo ou não kkk

Gerdal Toyomasu disse...

Gostei da análise do álbum comentário de 2010 e 17 anos depois eu acho...vou compartilhar PARA TODOS os Raulseixistas...
Eu também faço análises e fiz vários de Raul Seixas tenho 41 anos e Raulseixista há 31...valeu curti mesmo...
Gerdal Maluco Beleza Raulseixista

Gerdal Toyomasu disse...

Gostei da análise do álbum comentário de 2010 e 17 anos depois eu acho...vou compartilhar PARA TODOS os Raulseixistas...
Eu também faço análises e fiz vários de Raul Seixas tenho 41 anos e Raulseixista há 31...valeu curti mesmo...
Gerdal Maluco Beleza Raulseixista