terça-feira, julho 26, 2011

A guerra do rock no Brasil

O cenário underground brasileiro pode ser considerado amplo e promissor. Temos uma mistura de estilos, e bandas com propostas bem distintas. Não precisamos de algo melhor do que isso, certo? Errado! Apesar dos aspectos positivos citados, um olhar mais atento em torno de uma banda - e suas conexões - pode revelar coisas não muito agradáveis para os adeptos da paz e da união entre apreciadores de rock.

Salve raríssimas exceções, você pode notar no underground brasileiro um verdadeiro espírito destrutivo, consequente daquilo que, a princípio, deveria ser apenas uma competitividade saudável. Pode até parecer uma paranóia digna de teorias de conspiração, mas garanto que não é...

Um simples "passeio" pelas redes sociais, nas quais as bandas divulgam seu trabalho, pode ser bastante revelador. Um exemplo interessante é o quase obrigatório ato de a banda citar em seu "release" a suposta falta de inventividade sonora dos seus concorrentes, como se apenas a sua banda estivesse realmente disposta a fazer algo novo e marcante no rock.

Saindo do escopo dos próprios integrantes do grupo, temos ainda a ação de pessoas que praticamente trabalham para a banda. O resultado? Milhares de "pequenos" ataques ao trabalho alheio - sempre disfarçados de críticas construtivas, claro -, que se mostram como ações bem mais sutis (quase imperceptíveis), porém constantes...

Agora, vamos ao que realmente interessa: os shows! Independente da sua posição em meio à platéia, você pode ter certeza de que escutará "cochichos" de pessoas que, pelo visto, possuem um ouvido apuradíssimo para qualquer tipo de erro cometido em cima de um palco. Em alguns casos, objetos são atirados no músico "errante", sem cerimônia. Curiosamente - mas nem tanto -, as mesmas pessoas abrem mão destas atitudes quando a banda dos seus amigos está errando feio ao longo do seu show...

Ainda a nível de amizade entre o público e uma banda específica, não é pequeno o número de espectadores que comparecem a um show apenas para presenciar a banda dos amigos, deixando o local logo após a apresentação da mesma. Quero dizer, se pessoa curte rock, deseja o melhor para o cenário, e sabe que as outras bandas podem fazer um som igualmente bacana, qual é o motivo de tamanho preconceito e discriminação?

Se você se encaixa em qualquer uma das descrições citadas, não pense que está no meio de uma competição saudável, muito menos que estou fazendo um drama em cima de algo inevitável. Acredite, correções de pequenas atitudes como estas podem trazer um enorme benefício ao cenário 'rocker' nacional! Agora, se você acha que tudo isso é besteira, devo dizer que também defendo seu direito divino de ser um roqueiro idiota...

Um comentário:

Fernanda Habib disse...

Bem interessante seu texto, ainda que eu nunca pense no underground brasileiro, mas é verdade isso que você escreveu. Volta e meia aparece uma banda querendo divulgar seu trabalho, sempre propondo suplantar as demais, as vezes até com pretensões totalmente descabidas, como "resgatar o rock" etc...
Muito bom o texto.
Bjão.