sexta-feira, abril 01, 2011

[Álbum] The Frozen Tears of Angels (Rhapsody of Fire)

The Frozen Tears of Angels (Rhapsody of Fire)
Por Fábio Cavalcanti

Se você está levemente familiarizado com qualquer tipo de metal melódico, e ainda não foi apresentado ao som dos italianos do Rhapsody of Fire, preciso dizer apenas que o grupo em questão é um dos nomes mais fortes e representativos do tal "metal sinfônico", e que certamente seria o alvo mais óbvio de qualquer paródia sobre o gênero. Dá pra ter uma idéia, não é?

A banda, liderada pelo guitarrista Luca Turilli, está prestes a lançar seu nono álbum, mas o trabalho em questão aqui é o seu mais recente até o momento: "The Frozen Tears of Angels" (2010). Das letras regadas a temas medievais místicos, passando pelos arranjos acelerados e virtuosos, temos aqui o Rhapsody of Fire em essência. Logo, é estranho notar como isso não chega a ser necessariamente uma coisa boa...

Na introdução "Dark Frozen World", narrada pelo ator Christopher Lee e executada como uma espécie de trailer de filme à la "Senhor dos Anéis" (irônico, não?), nos preparamos para uma viagem guiada por uma banda que, aparentemente, está se levando mais a sério do que deveria...

As faixas seguintes são as frenéticas "Sea Of Fate", "Crystal Moonlight" e "Reign Of Terror", as quais mostram um grupo disposto a recuperar o "power" do seu metal. Seguindo a mesma vertente, cito ainda "Raging Starfire" e "On The Way To Ainor". Porém, nenhuma das faixas consegue ir além do "escutável", o que evidencia uma certa queda de inspiração por parte do quinteto.

A faixa "Danza Di Fuoco E Ghiaccio" não é nenhuma maravilha, mas consegue ser divertida, graças ao seu bem sacado arranjo influenciado pela música celta. Já a semi-balada "Lost In Cold Dreams" conquista facilmente o prêmio de faixa mais dispensável do disco.

Fechando a 'track list', temos a curiosa faixa-título "The Frozen Tears Of Angels" (e cá entre nós, que título brega, não acha?), o ponto mais inspirado do álbum, uma faixa que consegue prender o ouvinte em seus 11 minutos de duração. A essa altura do campeonato, notamos ainda um aspecto interessante de todo o trabalho: a sua boa e refinada produção.

De qualquer forma, a "aventura sonora" representada por "The Frozen Tears Of Angels" mostra apenas um grupo de "guerreiros" enfeitiçados por uma poção genérica de power metal sinfônico, o que levará os fãs de volta aos tempos do bom álbum "Dawn of Victory" (2000).

E todos viveram infelizes para sempre...

Nota: 5

Músicas:
1. Dark Frozen World
2. Sea Of Fate
3. Crystal Moonlight
4. Reign Of Terror
5. Danza Di Fuoco E Ghiaccio
6. Raging Starfire
7. Lost In Cold Dreams
8. On The Way To Ainor
9. The Frozen Tears Of Angels

OBS.: Esta resenha foi solicitada através do envio de material original da banda em CD para o Rock em Análise. Se você tem banda e também deseja ter uma resenha publicada neste espaço, mande um e-mail para fabiomca@yahoo.com.br solicitando informações sobre envio do seu material. Vale lembrar que a resenha poderá ser positiva ou negativa, como qualquer outra publicada aqui. Boa sorte!

Nenhum comentário: